sexta-feira, julho 08, 2016

#BringThePopcorn | About Time


Decidi criar uma nova rubrica aqui no blog, #BringThePopcorn, onde vou fazer reviews sobre os filmes que vi recentemente. Apesar de não ser uma pessoa muito dada a filmes, são estes que muitas vezes me motivam e me ajudam a seguir com a minha vida em dias menos positivos e por isso, não deixam de ter um papel importante na minha vida.

About Time é um filme que ando a adiar há demasiado tempo. Já anda a circular pela televisão há uns meses mas a vontade de vê-lo era nula. As razões eram apenas duas: a minha relação amor-ódio com actriz principal, Rachel McAdams (sim, mesmo sendo ela a lendária
Regina George), e a sinopse, que, por sinal, não faz justiça ao filme.

Ora, na sinopse ficamos a saber que o filme retrata a vida de Tim (Domhnall Gleeson), um rapaz de 21 anos que descobre que consegue viajar no tempo (assim como todos os homens da sua família). Tim muda-se para Londres, onde conhece Mary (Rachel McAdams) e apaixona-se por ela. Para que a sua relação seja perfeita e não haja erros, Tim aproveita a sua habilidade de viajar no tempo para corrigir tudo aquilo que corre mal. E é tudo o que ficamos a saber a partir da sinopse. É aborrecida, banal e não dá vontade nenhuma de ver o filme. Não gosto de filmes que impliquem viagens no tempo e essas coisas impossíveis de fazer (por enquanto!). Mas decidi pôr o preconceito de lado, uma vez que não gosto de julgar sem razões concretas, e porque há uns dias vi duas reviews seguidas aqui na blogosfera sobre o filme e convenceram-me.

Começo por dizer-vos que o filme corresponde, na verdade, à sinopse. Mas é muito mais do que isso. Este filme é sobre o amor, a paixão, a família, o ser uns para os outros. E é tão genuíno, tão sincero. É impossível chegarmos ao fim do filme sem uma lágrima nos olhos (as pessoas a quem o recomendei assim o disseram) e sem pensarmos realmente que a vida é feita de momentos únicos, mesmo que não sejam perfeitos. Ensina-nos a aproveitar cada dia com as pessoas que mais amamos e ensina-nos a viver a vida com calma, sem pressas.

About Time, tal como vos contei sobre a sinopse, retrata a vida de Tim num plano mais central; Tim muda-se para Londres e conhece Mary num bar temático de "blind date" (literalmente, uma vez que estão numa sala às escuras enquanto conversam com pessoas desconhecidas). Por razões que agora não interessam, Tim tem de voltar atrás no tempo e quando volta à realidade, não tem o número de Mary no seu telemóvel; ou seja, ela não sabia quem ele era pois, supostamente, o encontro nunca aconteceu
Tim faz tudo o que está ao seu alcance para voltar a encontrar e a conhecer Mary, voltando atrás no tempo inúmeras vezes até conquistá-la de novo. A partir daqui presenciamos a evolução da sua relação, desde o dia do seu casamento (um desastre total) até à decisão de terem três filhos.



Para além desta perspectiva, About Time fala-nos também acerca da irmã de Tim, Kit Kat. Acompanhamos Kit Kat desde o início do filme, mas é quando tem um acidente de carro, devido ao alcoól, que podemos apreciar realmente o seu papel no filme. Kit Kat vive uma relação abusiva e alcoólica com o seu namorado, e quando Tim se apercebe da bagunça que está a sua vida, ele viaja no tempo até ao dia em que Kit Kat conheceu o seu namorado para evitar que se conheçam, o que acaba por trazer consequências muito graves na vida de Tim.

Para além de Kit Kat, uma personagem muito importante no filme é o pai de Tim, que foi quem lhe contou o segredo de família. A sua relação é muito próxima e isso é bastante palpável. Por motivos de força maior, o pai de Tim acaba por falecer, algo que não impede Tim de continuar a vê-lo todos os dias, através das suas viagens no tempo; até ao momento decisivo em que Tim fica entre a espada e a parede: para concretizar o sonho de Mary em ter um terceiro filho, Tim tem que parar de ver o pai, uma vez que qualquer alteração no tempo, por mínima que fosse, iria interferir com o bebé ainda por nascer.


No geral, é um filme muito versátil. É engraçado sem ser ridículo e conta uma história, que apesar de ser baseada em algo impossível, não deixa de ser menos real. About Time foi um daqueles filmes que me deixou umas boas horas a pensar na vida e na sorte que temos de vivermos cada dia, por mais simples que seja. 
Se procuram uma boa sessão de cinema para este fim-de-semana, não hesitem em ver este, porque na minha perspectiva, não se vão arrepender. Juntem a família ou os amigos e agarrem umas pipocas, vão passar um bom serão. 


Já conheciam este filme? Deixem nos comentários o nome dos filmes que mais vos marcaram, qualquer filme deste género é sempre bem-vindo

2 comentários

  1. Há cerca de dois anos decidi começar a ver o filme, mas fiquei-me pelos 25 minutos. Tal como tu, já vi reviews positivas sobre o filme, portanto estou a ver que tenho de lhe dar uma oportunidade "a sério" este verão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também comecei assim Nêsa. Vi os primeiros minutos e desliguei porque estava a dar demasiada atenção à sinopse enquanto via o filme. Mas resolvi dar mais uma oportunidade a acabei por me apaixonar pela história. É um filme lindo e apesar de ter uma temática um pouco "batida", consegue dar a volta por cima e revela-se um filme super interessante! Depois diz-me o que achaste :)

      Beijinhos

      Eliminar

© all the bright places by Andreia Capelo. Design by FCD.