terça-feira, outubro 11, 2016

#BringThePopcorn | A Rapariga No Comboio


Não tem spoilers! 

Antes de iniciar o post, quero pedir desculpa pela minha ausência na blogosfera. Não tenho uma razão plausível para o ter feito, simplesmente deixei-me levar pela rotina das aulas, e a preguiça entre a chegada a casa e a hora de deitar foi mais forte do que eu. Vou tentar postar regularmente, nem que seja apenas uma vez por semana.

Hoje venho falar-vos do filme que foi adaptado do Best Seller de 2015: A Rapariga No Comboio. É um título que (quase de certeza) não vos é estranho, visto que estamos a falar do título do livro mais vendido em 2015. E este reconhecimento não é em vão. A Rapariga No Comboio foi um livro que chocou e deu uma reviravolta no mundo aborrecido dos policiais. É uma história com "pés e cabeça", bem pensada e bem estruturada. As suas 320 páginas deram origem a um filme bem capaz de as representar, à excepção de um detalhe ou dois.
Para quem leu o livro, as diferenças entre este e o filme são bastante óbvias, começando na localização. Entre as frases que se podem ler no livro, verificamos que a acção se passa em Londres, enquanto que, no filme, a história é representada nos arredores de Nova Iorque. A mudança não é, de todo, má. A vibe transmitida em Londres, no livro, sente-se da mesma forma no filme, mas em Nova Iorque, o que acaba por disfarçar a coisa. Para quem não leu o livro, o facto não incomoda e, no meu olho de espectadora e ignorando o meu olho de leitora, até tem o seu sentido o filme rolar em Nova Iorque.

Ainda no tópico livro vs. filme, algo que me chateou foi a aparência física da personagem principal. Enquanto lia o livro, e através das características que me eram dadas, imaginei a Rachel como sendo uma mulher muito mais degradante do que aparenta ser no filme. Imaginei-a com uns quilos a mais, com um ar deslavado e mais alcoólica ainda. Atenção: não estou a criticar o trabalho da atriz principal, Emily Blunt. Aliás, acho que o papel dela foi bestial. Teve uma prestação cinco estrelas e representou uma Rachel perfeita. Mas, mais uma vez, como leitora, as diferenças entre a aparência física da Rachel do livro e da Rachel do filme foram um tanto importunas. 

Comecei à pouco tempo a apreciar este tipo de filmes, nomeadamente depois de ter visto o filme Gone Girl, e acho-os bastante parecidos em questões de temática. A Rapariga No Comboio é um filme cheio de enigmas, pontas soltas e, no final, deixa o espectador de boca aberta e a gritar "Como é que eu não pensei nisto antes?!". Tem imagens um tanto chocantes e as personagens são muito intensas. É um filme muito verídico e talvez seja isso que o torna tão "escandaloso". 
Os actores deste filme foram escolhidos a dedo. Todos eles enquadram na perfeição com a sua personagem e sabem dar vida à mesma. Como disse mais acima, a prestação da Emily Blunt (Rachel) foi excepcional (e nem é uma actriz que eu aprecie muito, sinceramente). Como ela, entram tantos outros actores conceituados, como Haley Bennett (Megan), Justin Theroux (Tom) e Allison Janney (Detective Riley) - e não podemos deixar de soltar um grito interior quando reparamos que a Lisa Kudrow (Martha) também entra no filme (esta é só mesmo para os fãs de FRIENDS). 

Se ainda não foram ver, não hesitem. É um daqueles filmes com fundamento e que nos faz questionar até que ponto podemos confiar na nossa mente. Cliquem aqui para ver um dos trailers do filme, só para o caso de ainda estarem na dúvida se hão-de ir vê-lo ao cinema ou não.

Já leram o livro e/ou já foram ver o filme ao cinema?

All The Bright Places,
Andreia Capelo

4 comentários

  1. Li o livro mas ainda não tive hipotese de ver o filme, mas quero muito ver!
    Adorei a review. beijos 😘

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vê, está muito bom! Vais adorar :)

      Beijinhos Vanessa

      Eliminar
  2. Antes de mais, parabéns pela mudança! O blog ficou lindíssimo!
    Quanto ao tema da publicação, quero primeiro ler o livro para depois ver o filme. E só me arrependo de não ter investido nisso mais cedo, pois agora a capa dos livros é igual ao do filme xp

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! Acho que finalmente encontrei um design que corresponde à minha pessoa e àquilo que escrevo no meu blog :)
      Fui ver o filme com um grupo de pessoas que não tinha lido o livro e, enquanto eu estava a perceber tudo o que se estava a passar e a ter uma percepção mais consciente da história, as pessoas que estavam comigo só começaram a encaixar as coisas a meio do filme, por isso recomendo mesmo que leias primeiro o livro!
      Pois é, odeio quando isso acontece! Felizmente comprei o livro assim que saiu e por isso tenho a capa original eheh

      Eliminar

© all the bright places . Design by FCD.