quarta-feira, novembro 08, 2017

PESSOAL | O primeiro livro que li


Guardo um lugar muito especial no meu coração para o primeiro livro que li. Era eu uma menininha, com os meus 10 ou 11 anos, quando fui à minha primeira feira do livro. Até então, nunca me tinha interessado por livros (não lhes mostrava desprezo, mas nunca me interessaram). Por alguma razão, naquele dia, esse sentimento mudou. Assim que entrei naquela feira - organizada no ginásio da minha escola antiga -, apaixonei-me pelo cheiro a livros velhos. Sim, eram livros em segunda mão. Todo o tipo de livros e mais algum, desde histórias para crianças a livros com nomes para bebés (lembro-me particularmente de ter agarrado num livro destes e de ter procurado o meu nome). Naquele dia não tinha dinheiro, mas assim que pousei os olhos neste livro, sabia que tinha que o comprar. Talvez tenha sido pelo cão fofinho que aparece na capa, ou talvez eu quisesse simplesmente envergar no mundo da literatura e aquele pareceu-me o melhor livro para me iniciar, não sei. Só sei que a compra deste livro em particular, foi a compra que me abriu as portas à maior paixão que tenho hoje na minha vida. Mal eu sabia isso na altura. Fui para casa reunir uns trocos e, no dia seguinte, tinha o livro nas minhas mãos.

Shiloh é o típico livro para crianças daquela idade. Uma história sobre um Beagle (que, graças ou não ao livro, é agora a minha raça preferida) que sofre de maus tratos e é salvo por um rapazinho a entrar na puberdade. Lembro-me de devorar cada página, de imaginar todo um cenário na minha cabeça. Sentia um aperto no coração sempre que os maus tratos ao Shiloh eram mencionados. Talvez fosse a minha inocência de criança ou o amor que tenho aos animais, mas este livro fez-me chorar muito por ser tão cru - mesmo para uma criança.
Descobri, há relativamente pouco tempo, que existe uma adaptação cinematográfica deste livro. Ainda não tive a oportunidade de o ver mas, se se mantiver fiel ao livro, sei que vai despertar em mim todas estas sensações nostálgicas e infantis. Será o serão perfeito para aproveitar durante uma tarde chuvosa de dezembro, com uma manta e um chocolate quente na mão. 


Tenho este livro guardado e bem escondido num cantinho do meu quarto. Já está bastante velhinho e as páginas já estão amarelas. O meu objetivo é guardá-lo, não lhe pôr a vista em cima durante uns bons tempos, para daqui a uns anos voltar a sentir aquilo que senti ao pegar nele quando escrevi este post.

2 comentários

  1. Uau, eu cá não me recordo de qual foi o primeiro livro que li, todavia, nunca me hei de esquecer das vezes em que eu passava pela biblioteca da escola primária, apenas para me deixar seduzir pelos livros que lá estavam!

    Beijinho,
    novo blogue: "IMPERIUM"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São as melhores memórias :) Beijinhos Carolayne!

      Eliminar

© all the bright places by Andreia Capelo. Design by FCD.