sábado, fevereiro 10, 2018

A VISITAR | Capela dos Ossos, Évora


Para aproveitar, pelo menos, um dia de férias longe da cidade, decidimos apanhar um comboio de manhãzinha até Évora e voltar ao cair da noite. Desta forma, poderíamos explorar a cidade sem gastar dinheiro extra em dormidas. Antes da viagem fizemos um pequeno roteiro de tudo aquilo que queríamos visitar - como um dia não chega para ver tudo, escolhemos apenas locais de maior interesse - e, a Capela dos Ossos, foi o local no topo da lista.
Para aqueles que não sabem, eu nasci em Évora e cresci nas redondezas. Não conheço Évora como a palma da minha mão mas já estava familiarizada com o ambiente. Quando tinha apenas 10 anos, pedi aos meus pais para visitar a Capela dos Ossos. A resposta foi, obviamente: "ainda és muito nova para entrar num sítio destes, mas quando fores mais velha, trazemos-te cá". Infelizmente, a promessa ficou um bocadinho em stand by - até hoje. 

Antes de visitarmos a Capela mesmo, o bilhete permite-nos explorar também o Núcleo Museológico e uma Coleção de Presépios. Devo dizer que não foi muito do nosso interesse, devido ao caracter religioso, mas ainda assim, vimos tudo do início ao fim. Terminadas, finalmente, as visitas ao Núcleo e aos Presépios, começamos a seguir a seta que nos indicava o caminho para a Capela dos Ossos. Ao virar da esquina, assim que vislumbrei muito repentinamente uma parede de crânios bem lá ao fundo, senti um calafrio que me percorreu a espinha. Já sabia para o que ia mas o choque de encarar uma imagem destas, assim de repente, mexeu comigo.


É um misto de emoções assim que entramos nesta sala. Tem uma carga de energia pesadíssima. Imaginar a história de cada pessoa que ali se encontra dentro, é algo que não consigo descrever. Nenhuma pessoa morreu para o propósito da capela, mas ainda assim.



Todos os ossos são anónimos, à exceção de dois corpos. Estão ambos dispostos ao canto da sala: um pai e um filho. Diz a história que se conservam os dois corpos devido a uma maldição lançada pela mãe, que em vida era vítima de violência por parte dos dois. Esta imagem foi a que mais me chocou. Os corpos estão imensamente bem conservados, com os esqueletos quase completos - o filho num estado de decomposição maior do que o pai, mas ainda assim bem percetível.


A sala dispõe ainda de vários placares, em várias línguas, a contar a história da Capela - incluindo a história do pai e do filho, com maior detalhe -, o que torna a visita mais interessante. Nesses placares, e ainda à entrada, lemos também a célebre frase da Capela: "Nós ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos." Quanto a vocês não sei, mas ler esta frase dentro daquela Capela, arrepiou-me dos pés aos cabelos.


Se algum dia decidirem passear por Évora - algo que deviam fazer, pois é uma cidade rica em cultura e atrações turísticas -, não deixem de visitar a Capela dos Ossos. Por 4€ (3€ se tiverem menos de 25 anos), podem visitar o Museu, a Exposição de Presépios, a Capela e ainda têm acesso a um terraço com uma vista linda sobre a cidade. De todos os locais que visitamos, este foi sem dúvida o meu preferido, não só por ser um local que quero visitar desde os meus 10 anos, mas por ter superado todas as expetativas que tinha para esta visita. O único que me desiludiu um pouco foi o tamanho da Capela, constituida apenas por três naves. Imaginei algo maior e estrondoso, ao nível de uma igreja. Mas ainda assim, foi uma visita excecional, que vai voltar a receber a minha presença, se algum dia voltar a Évora.

9 comentários

  1. Não acho que algum dia queira lá entrar... O.O
    Beijinho**

    https://tinygirlreviews.wordpress.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo o teu receio, mas acredita que é uma experiência inesquecível! :)

      Eliminar
  2. Passei férias em Évora e ouvi falar desta capela. Infelizmente não a visitei, mas agora vejo que o devia ter feito!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser que voltes a ter oportunidade Marta! :) Beijinhos

      Eliminar
  3. Adorava visitar esta capela!!

    Novo post: http://abpmartinsdreamwithme.blogspot.pt/2018/02/gamiss-wishlist-thinking-about-summer.html

    Beijinhos ♥

    ResponderEliminar
  4. quando lá fui não estavam lá essas "múmias" expostas porque estavam a ser restauradas, mas que pena, queria muito tê-las visto! x

    Meet me for Breakfast

    ResponderEliminar
  5. Sempre que passava pela capela e ouvia falar da sua história, sentia uma curiosidade enorme em lá ir! Nunca tive a oportunidade, mas julgo que nunca seja tarde de mais! :P

    LYNE, IMPERIUM

    ResponderEliminar

© all the bright places by Andreia Capelo. Design by FCD.